LOG IN ALUNOS

LOG IN PROFESSORES

Alunos do Carmo conquistam 18 medalhas no Canguru de Matemática

Concurso internacional é realizado em dezenas de países e possui mais de 5 milhões de participantes em todo mundo
 
 
Alunos do Colégio do Carmo, em Santos (SP), conquistaram 18 medalhas no Canguru Matemático sem Fronteiras 2017, concurso internacional de matemática que ocorre todos os anos no mesmo dia em mais de 50 países. Foram cinco medalhas de prata e 13 de bronze.
 
O evento, aberto a todos os estudantes, sem seleção prévia e prova final, consiste em um questionário de múltipla escolha com cerca de 30 questões de dificuldade crescente. No Colégio do Carmo, participaram todos os alunos do 3º ano do Ensino Fundamental I até o 8º ano do Ensino Fundamental II. Do 9º ano do Fundamental II até o 3º ano do Ensino Médio apenas alguns estudantes participaram.
 
Por o concurso ocorrer no início do ano, não existe uma preparação prévia, mas os alunos fazem exercícios de anos anteriores. “Muitos gostam de participar porque é uma atividade diferenciada, que traz mais conhecimento e torna a matemática mais amigável”, explica a professora Eliane Pereira.
 
O Canguru Matemático é composto de oito categorias de acordo com a idade dos alunos e tem o objetivo de estimular o gosto e o estudo pela matemática, atrair alunos para disciplina de forma lúdica, levar diversão na resolução de questões e fazer com que os estudantes encarem os problemas propostos como uma conquista pessoal.
 
 

Alunos premiados na competição Canguru de Matemática juntamente com os professores Eliane Pereira, Avelino Moura e a diretora Renata Gaia.

Alunos premiados na competição Canguru de Matemática juntamente com os professores Eliane Pereira, Avelino Moura e a diretora Renata Gaia.

Medalhistas do Canguru Matemático 2017
 
 
 
3º e 4º anos do Ensino Fundamental I
Breno Mendes Tercero (Bronze)
Elisa Machado Ferreira (Bronze)
Lucas Vidiri de Moura (Prata)
Rafael Gomes Nascimento (Prata)
Thiago Adolfo do Nascimento Felipe (Bronze)
Vitor Lopes da Silva (Bronze)
 
 
 
 
5º e 6º anos do Ensino Fundamental II
Ana Carolina Ferreira de Melo (Bronze)
Julia Mendes da Silva (Bronze)
Julio Cesar Grijó Barbosa (Prata)
Matheus Lopes Silva de Carvalho (Bronze)
Murilo Tavares Almeida de Jesus (Bronze)
Pedro Melbardis Gonzaga (Bronze)
Ryan Gomes Pedrosa de Siqueira (Bronze)
Savio Lopes da Silva (Prata)
 
7º e 8º anos do Ensino Fundamental II
Danilo Romeiro Neto (Bronze)
Marcelo Augusto Braga Zoletti (Bronze)
Thiago Freitas Sosthenes Gomes (Bronze)
Vitoria de Aguiar Cyrineu Terra (Prata)
 
 
DSC_0015

História do Canguru Matemático
No início dos anos 1980, Peter O’Holloran, professor de matemática em Sydney, inventou um novo tipo de Concurso Nacional em escolas australianas: um questionário de múltipla escolha, o que foi um enorme sucesso. Em 1991, dois professores franceses (André Deledicq e Jean Pierre Boudine) decidiram iniciar a competição em França com o nome Canguru (“Kangourou”) para prestar homenagem aos seus amigos australianos. Na primeira edição, participaram 120 mil estudantes, atraindo a atenção dos países vizinhos.
 
Em junho de 1993, o Conselho de Administração do Canguru (“Kangourou”) Francês convocou um encontro europeu em Paris e sete países decidiram adotar o mesmo concurso. No mesmo mês de 1994, em Estrasburgo, no Conselho Europeu, a Assembleia Geral dos representantes de dez países europeus (Espanha, França, Grã-Bretanha, Hungria, Itália, Moldávia, Polônia, Rússia e Eslovênia) decidiram a criação do “Canguru Matemático sem Fronteiras”. Atualmente, a associação conta com representantes de 55 países e mais de 6 milhões de participantes em todo o mundo.