LOG IN ALUNOS

LOG IN PROFESSORES

Colégio do Carmo é a primeira escola da região a trabalhar temas da ONU e da UNESCO em sala de aula

Parceria ocorre desde 1998. Turismo Sustentável para o Desenvolvimento é o assunto escolhido para ser difundido em 2017

 
 
Se antigamente os estudantes conheciam o mundo apenas por meio de livros e mapas determinados para cada série, hoje o currículo escolar é muito mais adaptado a temas atuais. O Colégio do Carmo, em Santos, foi a primeira instituição de ensino da Baixada Santista a fazer parte, em 1998, das Escolas Associadas da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), trabalhando todos os anos temas definidos pela ONU (Organização das Nações Unidas), que declarou 2017 como o Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento.
 
Decidindo temas anuais desde 1957, nos últimos anos a ONU passou a trabalhar em parceria com a UNESCO para que os Anos Internacionais fossem trabalhados dentro de escolas e universidades. No Carmo, o responsável por transmitir esses conteúdos é o professor de Geografia, Geopolítica e Geoatualidades, Enio dos Anjos, que abordará o assunto junto a alunos do Ensino Médio. No projeto Arena de Atualidades, os estudantes desenvolverão trabalhos sobre a “Difusão e a Inserção do Turismo Sustentável pelos Estados Brasileiros: Desafios e Vantagens nos Setores Ambiental, Cultural e Social”.
 

Enio dos Anjos, professor de Geografia falando a respeito do tema do ano

Enio dos Anjos, professor de Geografia falando a respeito do tema do ano

“Essa parceira com as escolas é necessária porque precisamos incentivar jovens e crianças a se transformarem em adultos com uma consciência sustentável. Antes, sustentabilidade só era relacionada à parte ambiental e ecológica, mas hoje a ideia ficou muito mais ampla e o desenvolvimento sustentável aborda questões políticas, econômicas, sociais, tecnológicas, entre outras”, explica o professor.
 
Baseado nos pilares econômico, social e ambiental, o turismo sustentável é reconhecido pela ONU como um dos principais setores de geração de emprego do mundo, além de ser uma maneira muito importante de valorizar patrimônios ambientais e ecológicos.
 
“Pessoas atraídas para um determinado lugar fazem a economia local girar. Se toda essa renda for bem aplicada e administrada, ajuda a resgatar e a manter mais forte a cultura das comunidades envolvidas. Pela falta de oportunidades de subsistência, os jovens que fazem parte dessas comunidades não possuem estímulo em perpetuar as tradições”, analisa Enio dos Anjos.
 
Criada pela ONU, a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, que reúne 17 objetivos para transformar o mundo, inseriu o turismo em três deles: no 8º (Trabalho decente e crescimento econômico), no 12º (Consumo e produção responsáveis) e no 14º (Conservação e uso sustentável dos oceanos, mares e fontes marinhas para o desenvolvimento sustentável).