LOG IN ALUNOS

LOG IN PROFESSORES

Gabriel dos Anjos, ex-aluno do Carmo, mudou-se para o México para trabalhar em empresa gigante de games

O jornalista de 27 anos atua na Electronic Arts, desenvolvedora e distribuidora multinacional de jogos eletrônicos

 

Independentemente se você joga em console, no computador ou em dispositivos móveis, antes de iniciar um jogo já deve ter percebido que algumas vezes aparece a sigla EA – Eletronic Arts, que pode ser vista em jogos famosos como Battlefield, The Sims, UFC, FIFA, NBA, Need for Speed e vários outros.

 

Toda vez que novas versões desses jogos são desenvolvidas é necessária muita divulgação e trabalho intensivo da equipe de marketing para que os lançamentos sejam conhecidos pelos jogadores. Todo esse trabalho passa pelas mãos, ou melhor, pelo cérebro do ex-aluno do Carmo Gabriel Maturino dos Anjos, de 27 anos.

 

Formado em Jornalismo pela Anhembi Morumbi, em São Paulo, Gabriel atua numa agência de comunicação responsável pelo planejamento e execução de ações de comunicação e marketing da EA – Eletronic Arts, trabalho que lhe rendeu uma grande oportunidade.

 

Há dois meses, o jornalista foi convidado para trabalhar na sede da EA no México e gerenciar as equipes que cuidam da imagem da empresa em toda a América Latina.

 

“Essa proposta foi algo que eu vinha trabalhando para acontecer há anos. Claro que batem as dúvidas, o medo e o problema da distância da família. É outro país, outra língua, outra cultura, além dos terremotos e outras questões próprias de lá, mas em termos de experiência de vida e profissional não poderia perder essa chance”, conta.

 

Embora existam diferenças, Gabriel vê muitas similaridades entre São Paulo, cidade que morava, e a Cidade do México, sua residência atual, inclusive na cultura e na simpatia do povo.

 

Quanto ao idioma, resgatou na memória o básico do espanhol aprendido no Colégio do Carmo, que o ajudou muito na fase de adaptação. “Tive todo o apoio da minha família e da empresa, o que facilitou o processo. Mesmo com pouquíssimo tempo já me sinto em familiarizado”, diz.

 

Sem ideia de voltar ao Brasil, Gabriel tem como plano a longo prazo se estabilizar no México: “E quem sabe um dia, subir a fronteira para os Estados Unidos, onde fica a sede da EA”, projeta.