LOG IN ALUNOS

LOG IN PROFESSORES

Responsabilidade financeira é tema de matéria no Carmo

Alunos do 8º e 9º ano do Fundamental II e do 1º e 2º ano do Ensino Médio aprendem conceitos básicos de economia

 
 

Será que adolescentes têm o hábito de guardar a mesada para comprar algo específico ou gastam tudo o que ganham? Embora nessa idade eles ainda não tenham responsabilidade na relação com o dinheiro, aprender conceitos sobre finanças desde cedo certamente ajudará nas decisões do futuro e, quem sabe, também do presente.
 
Pensando nessas questões, desde o início deste ano o Colégio do Carmo inseriu na grade curricular a disciplina “Educação Financeira”, voltada a alunos do 8º e 9º anos do Ensino Fundamental II e do 1º e 2º ano do Ensino Médio.
 
Uma vez por semana o economista e professor universitário Luciano Simões ensina conceitos básicos de economia e apresenta aos alunos situações reais sobre sobre dinheiro, como metas e sonhos, necessidades e supérfluos, orçamento, juros, financiamentos, produtos bancários, armadilhas de consumo e até como ganhar uma renda extra.
 
 

16683536_1253536031399696_1151621392_n
 
 

“Durante o semestre procurei falar sobre as fases da vida com foco na área financeira. Quando somos jovens e moramos com os pais, a relação com o dinheiro é muito simples. Aí vem a faculdade, o mercado de trabalho, a saída da casa dos pais, a formação da família e essa relação vai ficando mais complexa. É importante que as pessoas tenham metas pessoais, saibam fazer aplicações corretamente e pensem em gerar rendas extras pra atingir esses objetivos”, explica o professor.
 
Na próxima segunda-feira (12/06), os alunos apresentarão o que aprenderam sobre educação financeira aos próprios pais. “A intenção em integrar a família é para que o ensinamento não se perca. É importante que o pai consiga utilizar essa base que o filho tem agora e conversar mais com ele, falando sobre crise, investimento etc. É muito importante mostrar aos jovens quanto custa luz, aluguel, condomínio. Até para que entendam mais a importância de sair do quarto e apagar a luz, tomar banhos mais curtos etc “, exemplifica o economista.